Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO ECONOMICO


Atividade da indústria paulista fecha o trimestre com queda de 2,3%
31 de Outubro de 2016 - 04:39 horas / FIESP

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista fechou o terceiro trimestre do ano em queda de 2,3%, sem os efeitos sazonais, em relação ao trimestre anterior. Em setembro, a redução foi de 0,2%, se comparada ao resultado de agosto. Os dados são da pesquisa do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon) divulgada na sexta-feira (28/10).

 

Segundo o diretor do Depecon, Paulo Francini, a manutenção do fraco desempenho do setor altera a projeção do INA para o ano de 2016, de 6,4% para 9,0% negativos.  “O ano vai terminar pior para a indústria do que 2015. Talvez o PIB não caia tanto quanto no ano passado, mas o comportamento da indústria vai ser pior em 2016”, diz.

 

Ao lembrar que o INA registrou quedas significativas em 2014 (-6%) e 2015 (-6,2%), Francini afirma que o quadro da atual economia é recessivo e devastador, comum em países em guerra ou que sofreram por catástrofes naturais.   “Dois anos de queda na economia só encontramos em 1930, não há situação paralela depois disto. ”

 

Sobre expectativas para 2017, o diretor de Depecon afirma que não enxerga recuperação e lembra que fatores que estimulariam a demanda, como emprego, e renda também estão em baixa, além do crédito, cada vez mais restritivo. “A economia brasileira está em uma trajetória difícil. Para nós, 2016 terminou. Agora é torcer para o final do ano chegar logo, criar novas esperanças e ir em frente”, conclui.

 

Setores

 

Em setembro, o INA do setor de máquinas e materiais elétricos apresentou retração de 2,0%, se comparado ao mês anterior sem os efeitos sazonais. No Total de Vendas Reais a queda foi de 2,5%, enquanto nas Horas Trabalhadas na Produção o registro negativo foi de 2,3%. O NUCI (Nível de Utilização da Capacidade Instalada) apresentou ligeira alta de 0,3 p.p.

 

O setor têxtil também apresentou queda, desta vez de 1,0%, na passagem de agosto para setembro, na série sazonalmente ajustada. Houve retração no Total Vendas Reais (-1,9%) e nas Horas Trabalhadas na Produção (-1,4%). Com resultado estável, a variação do Nuci ficou em 0,1 p.p.

 

Sensor

 

A pesquisa Sensor de outubro fechou em 48,1 pontos, na série livre de influências sazonais, número inferior ao de setembro, quando atingiu 48,9 pontos. Como está abaixo dos 50,0 pontos, o sensor sinaliza queda da atividade industrial para o mês.

 

No mês, os únicos avanços foram das variáveis emprego, que passou de 47,7 pontos no mês anterior para 48,8 pontos, e mercado, que passou de 46,9 para 48,8 pontos, mas os resultados abaixo dos 50,0 pontos ainda indicam expectativas pessimistas para o mês.

 

Depois de três meses de estoque ajustado, o indicador passou de 52,8 para 48,9 em outubro e, por ser inferior a 50,0 pontos indica que está em nível acima do desejável.

 

As variáveis vendas e investimentos também registraram queda de pontos no Sensor.

 

Clique aqui para ter acesso à pesquisa completa e à série histórica.




NOVIDADES

NEWSLETTER

Receba nossas novidades!
   

ARQUIVOS












Maiores informações ou o esclarecimento de dúvidas poderão ser efetuadas através da

nossa página de contato ou pelo telefone
(11) 2632-1023

SETCESP • Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região

Rua Orlando Monteiro, nº 1 • CEP: 02121 021 • Vila Maria • São Paulo • SP
(11) 2632 - 1000 •
setcesp@setcesp.org.br