Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO ECONOMICO



Varejo luta para incluir nova data no calendário de vendas
15 de Março de 2016 - 05:34 horas / DCI

Para ultrapassar o mês de março, geralmente período de vendas escassas, as redes varejistas querem turbinar com descontos e promoções o Dia do Consumidor, comemorado mundialmente em 15/03. A ideia é reforçar o calendário ao criar a identidade de mais uma data sazonal e, quem sabe, transformar o período em uma nova Black Friday.

 

"É evidente que o varejo quer criar uma nova data de promoções, já que ele se 'alimenta' de datas especiais. Além disso, esse é um período em que as vendas do varejo são muito baixas", afirma o presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), Claudio Felisoni.

 

O presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Pedro Guasti, concorda. Segundo ele, no primeiro semestre do ano, março é justamente o mês mais fraco em vendas e vale a pena unir forças para mudar isso.

 

Criada pela Buscapé Company com o objetivo de alavancar as vendas neste período, a comemoração de descontos para a data já está em sua terceira edição, e promete, este ano, aumentar o faturamento, apesar da crise econômica. De acordo com a E-bit/Buscapé, unidade especializada em informações de comércio eletrônico da Buscapé Company, o faturamento do e-commerce neste dia deverá chegar a R$ 236 milhões este ano, o que representaria crescimento nominal de 18% em relação à edição de 2015, quando o faturamento foi de R$ 200 milhões. Na primeira edição o valor foi de R$ 174 milhões.

 

Apesar das previsões positivas da empresa, Felisoni, do Ibevar', avalia que a crise econômica deve interferir de maneira negativa nas vendas na data sazonal. "Estamos em um momento bem complicado, pois tivemos uma redução real da renda e o consumo está em baixa. A crise acaba não favorecendo um aumento nas vendas [em relação ao ano passado] neste dia", explica o analista.

 

Felisoni acerta na análise se pensarmos que o Dia do Consumidor ainda está longe de se igualar aos resultados da Black Friday, que movimentou no ano passado R$ 1,5 bilhão. A data é, aliás, desconhecida por grande parte dos consumidores brasileiros. Pesquisa realizada pelo Mercado Pago, instituição de pagamentos do Mercado Livre, com 400 internautas em todo o País mostrou que 77% dos entrevistados não conheciam a data. Apenas 11% disseram que compraram durante as promoções no ano passado.

 

Por outro lado, a pesquisa revelou o interesse do consumidor ao saber que poderá aproveitar melhores preços na semana do dia 15 de março. 76% afirmaram que pretendem realizar alguma compra on-line ao longo da Semana do Consumidor neste ano.

 

Em entrevista ao DCI, o diretor executivo da E-bit/Buscapé, André Ricardo Dias, afirmou que a perspectiva é de crescimento para os próximos anos. "Acho muito difícil que o Dia do Consumidor se iguale à Black Friday, porque ela acontece em uma data muito estratégica, com a proximidade do Natal. Mas a perspectiva é que a data cresça bastante nos próximos anos", avalia.

 

"Acredito que o Dia do Consumidor é uma oportunidade para oferecermos ofertas diferenciadas aos clientes. Mas, não vejo que consiga ter a mesma expressividade que a Black Friday", explica Souyoltgis.

 

Segundo Guasti, da FecomercioSP, para que a data consiga entrar definitivamente no calendário dos consumidores brasileiros como um dia de descontos, é preciso que haja um maior investimento por parte das empresas. "Elas deveriam usar parte da verba de divulgação com investimento em marketing nas mídias tradicionais - televisão, rádio e jornal - e nas redes sociais".

 

O diretor de comunicação e marketing da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), Gerson Rolim, acredita que existe a movimentação dos grandes varejistas no sentido de criar novas datas sazonais, principalmente no primeiro semestre, e isso é positivo para o varejo. "Principalmente em momentos de crise, nós temos de ser criativos", afirma.




NOVIDADES

NEWSLETTER

Receba nossas novidades!
   

ARQUIVOS












Maiores informações ou o esclarecimento de dúvidas poderão ser efetuadas através da

nossa página de contato ou pelo telefone
(11) 2632-1023

SETCESP • Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região

Rua Orlando Monteiro, nº 1 • CEP: 02121 021 • Vila Maria • São Paulo • SP
(11) 2632 - 1000 •
setcesp@setcesp.org.br