Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO ECONOMICO


Transposul debate o futuro dos transportes
06 de Julho de 2012 - 10:00 horas / Jornal do Comércio - RS

Os caminhos do segmento de transporte e logística em meio a alterações da economia mundial e mudanças na legislação trabalhista no Brasil, que abrange os motoristas profissionais, serão abordados durante a TranspoSul – 14ª Feira e Congresso de Transporte e Logística, que abriu nesta quarta-feira no Centro de Eventos da Fiergs e que se estende até sexta-feira. Dirigentes de entidades que representam a categoria dos transportadores, empresários e políticos participaram da cerimônia de abertura. O vice-governador Beto Grill destacou que o aprimoramento da cadeia de logística e transporte é fundamental para o desenvolvimento do Estado. Ele ressalta que o governo gaúcho investirá na malha rodoviária, no espaço de quatro anos, cerca de R$ 2,6 bilhões. Os recursos serão aplicados em acessos asfálticos e duplicações de vias. Grill enfatiza ainda a reestruturação do modelo de pedágios e as campanhas para reduzir os acidentes de trânsito. O coordenador da 14ª TranspoSul e vice-presidente de Logística do Setcergs, Frank Woodhead, salienta que o evento ocorre em meio à turbulência econômica internacional. “Mas, mantemos o otimismo, esse é o momento de separar os bons dos excelentes”, afirma o dirigente. O presidente do Setcergs, José Carlos Silvano, compartilha do entusiasmo. “O momento é de retomada do crescimento.” O presidente da NTC & Logística, Flávio Benatti, também reconhece que a feira acontece em uma hora especial para o setor. Isso porque entrou em vigor a nova legislação trabalhista que regulariza a jornada de trabalho dos motoristas profissionais. “Essa questão mudará a relação das empresas com o mercado”, diz Benatti. A Lei 12.619/12 fixa a carga diária de trabalho em oito horas, com no máximo quatro horas dirigindo sem interrupções. Ainda determina um intervalo de repouso diário de onze horas a cada 24 horas e descanso semanal de 35 horas. A perspectiva é de que a regulamentação provoque um aumento da frota e da contratação de profissionais, o que deverá elevar o custo do frete. A ocorrência de acidentes, entretanto, deverá diminuir com o disciplinamento da profissão. Expectativa da feira é de R$ 120 milhões em negócios - A TranspoSul, 14ª Feira e Congresso de Transporte e Logística, que iniciou ontem, tem a expectativa de alcançar um aumento de cerca de 20% nos negócios realizados durante a edição deste ano em relação a de 2011, chegando a um resultado de aproximadamente R$ 120 milhões. O encontro, que acontece no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), encerra amanhã. O coordenador da 14ª TranspoSul e vice-presidente de Logística do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs), Frank Woodhead, mantém a perspectiva otimista, apesar de admitir que é preciso superar o impacto das dificuldades que a economia vem sofrendo nos últimos meses. Ele acrescenta que, particularmente, o Rio Grande do Sul sofreu com os problemas de seca verificados durante a safra de verão. A TranspoSul conta com a participação de mais de cem expositores e, além de caminhões, é possível conferir produtos como rastreadores de veículos, pneus, entre outros equipamentos. Woodhead salienta a participação de todas as grandes montadoras, que estão apresentando suas novas versões de veículos. A feira e congresso é, ainda, uma oportunidade para levantar discussões de assuntos relevantes para o setor de logística e transporte. Serão debatidos temas como a desindustrialização e os seus efeitos sobre a logística, a crise europeia e suas consequências, a nova lei do motorista, os motores Euro 5 (padrão europeu de emissões) e entre outros assuntos. Woodhead lembra que desde 1 de janeiro as montadoras brasileiras passaram a fabricar somente motores no padrão Euro 5. “Naquela época, houve uma procura muito intensa pelos modelos Euro 3, que são os eletrônicos comuns, até porque os caminhões mais modernos são cerca de 15% mais caros e o combustível que os novos veículos consomem, o diesel S-50, também tem um custo mais elevado”, comenta o dirigente. Com a modernização houve uma redução na venda em geral de caminhões durante esse período. “Mas, agora não tem opção, quem quiser comprar tem que adquirir os novos”, enfatiza o coordenador da 14ª TranspoSul. Woodhead destaca que a edição deste ano terá como temática o Avanço Tecnológico: Um Diferencial Competitivo e apresentará aos operadores logísticos as novidades tecnológicas do segmento, essencialmente aquelas incorporadas aos motores. Ele acrescenta que os assuntos apresentados recentemente no evento internacional Rio+20, relacionados ao crescimento sustentável são, para o setor, um desafio constante na medida em que o consumo de combustíveis fósseis precisa ser racionalizado. Para o Setcergs, feira marcará a retomada do mercado - Devido às condições da economia, o setor logístico encontra-se retraído no momento. Entretanto, o presidente do Setcergs, José Carlos Silvano, acredita que a TranspoSul é uma realização que servirá justamente para mudar esse cenário. Ele vê a feira como uma excelente oportunidade de negócios para fornecedores da cadeia de logística e transporte, como montadoras, encarroçadoras, bandeiras de combustíveis, fabricantes de pneus e de vários equipamentos. Silvano destaca que neste ano a TranspoSul será a única grande feira de transporte e logística realizada no País, pois o próximo Fenatran - Salão Internacional do Transporte só será realizado em 2013. Ele cita também a importância do congresso técnico para debater os assuntos de destaque no setor, com a participação das federações das indústrias dos três estados da região Sul. “Não se pode enxergar a indústria sem a logística e vice e versa”, argumenta o presidente do Setcergs. Conforme Silvano, a TranspoSul é o primeiro ambiente de negócios dentro de uma realidade mais atualizada de mercado. Ele reitera que os motores Euro 5 foram lançados em janeiro, porém havia um estoque de modelos Euro 3 na ocasião, o que não existe mais agora. “As empresas estão retraídas para a compra, pois ainda não conhecem tão bem os novos produtos, que têm um preço mais elevado do que os antigos”, afirma Silvano. Ele acrescenta que o momento econômico não foi propício para a introdução dos motores Euro 5 no País. O presidente do Setcergs afirma que neste ano ocorreram duas enormes mudanças dentro do setor de transportes: a difusão dos motores Euro 5 e a legislação para regular o trabalho do motorista. Sobre esse último ponto, nesta sexta-feira será discutido, dentro da TranspoSul, o reflexo da regulamentação da profissão de motorista pela Lei 12.619/2012. Silvano recorda que a norma determina a jornada de trabalho desses profissionais e uma série de imposições legais que alteraram o código de trânsito e a CLT. A questão trabalhista já está, inclusive, gerando novos produtos dentro do mercado. Na feira deste ano, por exemplo, será apresentado um medidor de controle de jornada dos motoristas para ser agregado ao rastreamento do veículo. Quanto ao futuro, o presidente do Setcergs projeta que o segundo semestre será de recuperação, com desempenhos do setor logístico superiores à primeira metade do ano. “Depois da chuva, vem a bonança, vem o sol, e contamos com boas expectativas para 2013 e 2014”, adianta o dirigente. Em 2011, cerca de 2,2 mil pessoas participaram das palestras da TranspoSul e a perspectiva é de que compareçam neste ano de 2,6 mil a 2,8 mil pessoas. Empresas apresentam novidades tecnológicas - Os fabricantes de caminhões e fornecedores de equipamentos aproveitam a TranspoSul para divulgar suas inovações. A Mercedes-Benz, por exemplo, expõe a tecnologia Blue Tec e também o FleetBoard, que é um sistema de gerenciamento de frota. A Dipesul traz os pesados Volvo FH Euro 5, Volvo FM Euro 5 e a linha de semipesados, os caminhões Volvo VM com potências que variam de 220 CV a 330 CV. Outro destaque é o rastreador OnixSmartIDP Híbrido, que possibilita o posicionamento por GPS, comunicação por GPRS e via satélites de alta órbita Inmarsat, Inteligência Embarcada e Telemetria Full. A Scania conta em seu estande com dois caminhões, o pesado R440 6x2 e o semipesado P310 8x2. O R440 é o atual líder de emplacamentos, entre janeiro e maio, no segmento de pesados. A versão exposta, com tração 6x2, possui 440cv de potência e desenvolve torque de 2.300Nm, o maior na sua faixa de atuação. “O modelo é o mais econômico da categoria e seu consumo de combustível pode ser até 7% menor em relação ao similar Euro 3”, afirma o gerente de pré-vendas da Scania no Brasil, Celso Mendonça. O novo mercado de atuação da Scania, o de caminhões semipesados, expõe o P310 8x2 com 310cv e torque de 1.550Nm. “A curva do torque atua em baixa rotação e garante duas vantagens: o máximo desempenho e superior economia de combustível”, diz Mendonça. Matriz energética dos transportes é uma das preocupações do setor - Quais serão as fontes de energia utilizadas nos transportes nos próximos anos? Essa é uma das maiores interrogações do segmento. Por isso, nesta quinta-feira o debate no congresso técnico será a Matriz Energética dos Transportes – Alternativas para o Futuro. O assunto será abordado pelos especialistas Gilberto Leal e Gian Gomes Marques. Físico, Leal gerencia o desenvolvimento de motores leves e médios e de sistemas de pós-tratamento de gases de escape, especialmente para atendimento ao Proconve P7 (Euro 5), da Mercedes-Benz. O engenheiro-mecânico Marques é o executivo responsável pelo pré-desenvolvimento de propulsão e combustíveis alternativos na MAN Latin America. Empresários relatam em livro as suas experiências - Uma das novidades na edição deste ano da TranspoSul é o lançamento de duas obras técnicas. O assessor de Relações Institucionais do Setcergs, João Pierotto, apresenta o livro Seja o chefe que você gostaria de ter. O diretor do Setcergs, Sérgio Luiz Fleck, divulga a obra Planilha de Custos para Veículos. Natural de Farroupilha, desde os oito anos Pierotto ajudava o pai na distribuição de doces e biscoitos, fez entrega de ranchos usando bicicleta e foi balconista. Aos 18 anos, comprou uma Kombi e foi atuar com vendas e distribuição. Aos 21 anos, comprou um caminhão FNM 1954, em seguida trocando por um mais novo iniciando a carreira de caminhoneiro. Foi também gerente de frota de uma transportadora e executivo de empresas nacionais especializadas no transporte de produtos perigosos (cargas líquidas a granel). Tornou-se empresário no segmento de transporte de logística e, no ano de 2000, foi eleito presidente do Setcergs, reconduzido ao cargo na gestão seguinte. Em 2004 assumiu a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Canoas, sendo que no período de 2005 a 2007 ocupou a função de diretor-geral e em 2008 foi novamente reconduzido ao cargo de secretário. Dividido em três capítulos, o livro aborda a evolução do mercado, liderança e gestão de carreira. A globalização, as empresas estrangeiras, a exigência do mercado, concorrência, o desafio do cargo, a arte de ser líder, ambiente organizacional, como se constrói a carreira e espírito de equipe são algumas das questões relatadas nesses capítulos onde pesa sua experiência na área. O livro Planilha de Custo para Veículos, de Sérgio Luiz Fleck, é um lançamento da Editora e Produtora Dörzbach. Graduado em Engenharia de Operações, habilitação Mecânica, pela Pucrs, e em Administração de Empresas, em 1985, pela Ufrgs, e pós-graduado em Gestão Empresarial também pela Universidade Federal, Fleck atua no setor de transporte rodoviário de cargas desde 1980. É diretor de empresas de transporte, armazenagem, distribuição e serviços logísticos e analista de sistemas para transporte e serviços logísticos. A obra reuniu os requisitos técnicos para cumprir a missão de oferecer uma resposta consistente às perguntas: quanto custa este transporte? Qual é custo operacional deste caminhão? Planilha de Custos para Veículos é resultado de inúmeras considerações sobre todos os fatores que interferem na formação do custo do transporte de mercadorias.


NOVIDADES

NEWSLETTER

Receba nossas novidades!
   

ARQUIVOS












Maiores informações ou o esclarecimento de dúvidas poderão ser efetuadas através da

nossa página de contato ou pelo telefone
(11) 2632-1023

SETCESP • Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região

Rua Orlando Monteiro, nº 1 • CEP: 02121 021 • Vila Maria • São Paulo • SP
(11) 2632 - 1000 •
setcesp@setcesp.org.br