Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO JURIDICO
 



Polícia flagra esquema de desvio e venda de combustíveis em Paulínia
13 de Maio de 2015 - 07:53 horas / G1

Seis pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento no esquema de desvio e venda ilegal de combustível em Paulínia (SP) nesta terça-feira (12). De acordo com a Polícia Militar (PM), as cargas saíam de distribuidoras da cidade e, antes que chegassem ao comprador, tinham cerca de 100 litros roubados. Substâncias para adulteração também foram apreendidas.

 

A transferência da carga era feita em um galpão no bairro Cascata onde foram encontrados quatro caminhões-tanque com cerca de 25 mil litros de combustível, que foram levados para a delegacia. Os veículos foram localizados durante um patrulhamento após os policiais desconfiarem de um caminhão que tinha acabado de sair do local.

 

"A equipe abordou o caminhoneiro e, durante esta abordagem, surgiu outro caminhão saindo do mesmo depósito. A equipe achou estranho a movimentação ali e pediu apoio", conta o aspirante Allan Bruno.

 

A retirada do combustível dos caminhões era feita sem o rompimento do lacre, o que não levantava a suspeita dos compradores da carga.

 

"O caminhão chegava e emparelhava a outro caminhão-tanque, fazia o transporte da gasolina e armazenavam em um ônibus. Vários galões eram escondidos. Chegava um outro caminhão que pegava a gasolina", explica o PM.

 

Além dos veículos foram encontrados materiais e aditivos usados para adulterar o combustível. Segundo a PM, o dono do galpão pagava os caminhoneiros que aceitavam participar do esquema e adulterava o combustível desviado para abastecer postos nas cidades da região. Para a polícia, alguns motoristas disseram que recebiam R$ 1 por cada litro desviado.

 

Entre os suspeitos detidos estavam caminhoneiros, o dono da transportadora, que mantinha o esquema, e um menor de idade, que fazia o transbordo da carga e a mistura, segundo o policial. Cinco deles prestaram depoimento e foram liberados. Já o dono pagou fiança de R$ 5 mil e vai responder por crime ambiental, em liberdade. Os indícios de furto de carga e de adulteração, crime contra as relações de consumo, serão investigados.




NOVIDADES

NEWSLETTER

Receba nossas novidades!
   

INFORMAÇÕES
















Maiores informações ou o esclarecimento de dúvidas poderão ser efetuadas através da

nossa página de contato ou pelo telefone
(11) 2632-1037
(11) 2632-1038
(11) 2632-1042

SETCESP • Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região

Rua Orlando Monteiro, nº 1 • CEP: 02121 021 • Vila Maria • São Paulo • SP
(11) 2632 - 1000 •
setcesp@setcesp.org.br