Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO OPERACIONAL
 



A tecnologia e o futuro da logística
03 de Outubro de 2016 - 05:15 horas / Pé na Estrada

O 66º Salão Internacional de Veículos Comerciais (IAA 2016), realizado na semana passada em Hannover, na Alemanha, mostra o que há de mais atual em tecnologia aplicada nos veículos comerciais. São novas soluções em motores elétricos, veículos autônomos e, principalmente, conectados à internet. Essa comunicação online abre possibilidades que, poucos anos atrás, pareciam sair de filmes de ficção. Só para ficar em uma marca e em um produto, a Mercedes-Benz mostrou a Van do Futuro. É o exemplo acabado de como os recursos tecnológicos agregam valor à cadeia logística. A Vision Van tem um compartimento de carga automatizado, drones de entrega autônoma e comando por joystick. Mas aqui mesmo no Brasil uma nova onda tecnológica está em curso a passos rápidos. É a “logística 4.0”, muito debatida na Movimat 2016.

 

Os avanços tecnológicos são os motores das mudanças e transformações na sociedade. Seus impactos afetam a economia e os negócios. E na logística não é diferente. O nome deriva da chamada “indústria 4.0” ou a “quarta revolução industrial”, baseada nas possibilidades tecnológicas que permitem conectar as coisas. A isso também se dá o nome de “internet das coisas”. A impressora 3D faz parte desta revolução. A Cummins, por exemplo, já molda peças para teste com este tipo de impressora, antecipando em semanas e meses o lançamento de alguns de seus novos produtos.

 

Mas o que é logística 4.0?

 

“Logística 4.0 é a revolução tecnológica dentro do universo da logística”, diz Eduardo Banzato, Especialista em Tecnologia. “O fato de você conseguir fazer com que sistemas e máquinas conversem entre sim, trocando informações em tempo real com qualidade e rapidez, você permite uma velocidade de informação que gera resultados melhores em vários processos e operações”, completa. Questionado como isso se traduz na prática, o especialista explica que pode ser, por exemplo, na agilidade de carga e descarga de um caminhão.

 

Carregamento planejado pelo computador

 

Um exemplo de que a tecnologia pode evitar problemas na balança é um software de formação de carga que foi apresentado na Movimat 2016, o Salão Internacional da Logística Integrada, realizado na semana passada em São Paulo. Antes mesmo de carregar, o programa em três dimensões mostra, na tela do computador, como deve ser a distribuição dos paletes. É a “logística 4.0” ajudando transportadores, embarcadores e motoristas a carregar de forma mais rápida e planejada. Essa eficiência é capaz evitar erro de distribuição de peso e sobrecarga no eixo que, na estrada, pode resultar em multa, transtornos, perda de tempo e custos.

 

Enfim, a evolução constante da tecnologia gera novas possibilidades e oportunidades. Os caminhões conectados que vimos na IAA, na Alemanha, fazem parte de um processo mais amplo de toda a cadeia logística, como mostrou a Movimat, no Brasil.




NOVIDADES