Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO OPERACIONAL
 


Conheça (e evite) quatro erros na manutenção de frotas
22 de Junho de 2018 - 16:32 horas / Por Valmir Colodrão*

Qualquer empresa precisa investir no desenvolvimento de pessoas e aperfeiçoamento de talentos para garantir a boa performance de sua equipe. Em uma transportadora isso também acontece, mas com uma diferença: a frota divide espaço com os motoristas no protagonismo do sucesso e resultados da companhia, e manter os veículos em bom estado exige tempo, organização e, por vezes, altos investimentos.

 

Em tempos de retomada da economia – e nos outros também –, todos os gestores buscam formas de diminuir seus gastos e otimizar o uso dos recursos. No setor de transportes um fator decisivo é fazer com que as frotas operem em seu potencial máximo, e uma das estratégias é mitigar erros no momento de manutenção. Para facilitar a identificação e preparação no planejamento de reparos, separei os principais equívocos que ocorrem nesse processo, confira!

 

1. Não levar em conta a rota percorrida

No Brasil, um país com proporções continentais, não é de se estranhar que nem todas as estradas estejam na mesma condição. A qualidade e as características de cada rodovia precisa estar no radar do gestor, que deve avaliar as rotas escolhidas para sua frota. Não deixe de comparar caminhos, estradas e distâncias, pois em alguns casos a escolha de um trajeto errado pode encarecer os custos de manutenção, ou até mesmo provocar reparos que poderiam ser evitados.

 

2. Não investir em uma equipe qualificada

Já ouviu falar que não adianta ter uma Ferrari se você não sabe dirigir da maneira certa? O pensamento é o mesmo para um caminhão, ônibus e outros automóveis usados para o transporte rodoviário. Esses veículos têm suas especificidades e um motorista habilidoso saberá realizar uma conduta correta durante todo o percurso. Um bom time de motoristas faz toda a diferença ao realizar um serviço diferenciado.

 

3. Não planejar reparos

Quando se conhece a frota com que trabalha é possível prever quando e quais tipos de manutenção serão necessárias ao longo do ano. Quanto melhor for o planejamento, mais fácil será para economizar e evitar problemas, e a manutenção preventiva é uma ótima opção para quem deseja economizar. Estruture um calendário de reparos, a fim de que o veículo não fique parado na garagem deixando de produzir.  Não deixe de fazer bom gerenciamento para que todo o procedimento seja realizado no momento correto, sem gastos de última hora e fora do planejamento financeiro.

 

4. Não usar uma tecnologia adequada

Um bom sistema de gestão para transportadoras precisa atender as demandas da empresa em sua totalidade. O tempo e valor investido com treinamentos e implementação caem por terra se a tecnologia escolhida não for a ideal. Pesquise as opções no mercado, converse com especialistas e avalie qual a melhor alternativa.

 

*Valmir Colodrão é diretor e sócio-fundador da BgmRodotec, empresa do segmento de software de gestão para empresas de transporte. www.bgmrodotec.com.br




NOVIDADES