Quem Somos | Comercial | Diretoria Adjunta | Mantenedores |  Parcerias  | Agenda do Presidente | Imprensa | Contato | Editorial |
HOME | NÚCLEO OPERACIONAL
 


Transporte aéreo de cargas em janeiro cresce 6,9% ante janeiro de 2016, diz Iata
07 de Março de 2017 - 03:42 horas / Isto É

A demanda global por transporte aéreo de cargas, apurada em toneladas-quilômetro transportadas (FTK), cresceu 6,9% em janeiro de 2017 em relação ao mesmo período de 2016, de acordo com informações divulgadas na segunda-feira, 6, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês).

 

“Apesar de menor que a alta recorde de 10% registrada em dezembro de 2016, o resultado ainda está bem acima da taxa anual média de crescimento nos últimos cinco anos, de 3%”, diz a entidade, em nota.

 

Já a oferta global por transporte aéreo de cargas, medida em toneladas-quilômetro disponíveis (AFTK), aumentou 3,5% em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado. Com isso, a taxa de ocupação global das aeronaves para o transporte de carga chegou a 42,1%, uma alta de 1,3 ponto porcentual (p.p.) em um ano.

 

Desempenho regional

 

Ao analisar o desempenho do transporte aéreo de cargas por região – a Iata separa os mercados globais em África, Ásia/Pacífico, Europa, América Latina, Oriente Médio e América do Norte -, a entidade destaca que todas as áreas, exceto a América Latina, tiveram um aumento na demanda no primeiro mês do ano.

 

No países latino-americanos, a demanda por transporte aéreo de cargas recuou 4,1% na comparação com janeiro de 2016, enquanto a oferta diminuiu 1,4%. Desta maneira a taxa de ocupação para o transporte de cargas diminuiu 0,8 p.p., chegando a 28,5%. Em nota, a Iata diz que a região continua a ser afetada pela fraqueza econômica e instabilidade política.

 

O maior crescimento na demanda por transporte de cargas em janeiro foi verificado na África, com uma alta de 24,3% na base anual, seguida pela Europa (+8,7%), Oriente Médio (+8,4%), América do Norte (+6,1%) e Ásia/Pacífico (+6%).




NOVIDADES